PO Capas

Sempre que uma editora (aqui no caso a Marvel), entra naqueles comuns momentos de hiato criativo, surge uma saga que reúne boa parte de seus personagens e tenta assim, focar a atenção dos leitores em algo diferente…

Foi assim em Guerra Civil, foi assim em Vingadores vs X-Men e agora recentemente, em Pecado Original.

Lançada no ano de 2014 em um total de oito edições, a história principal da saga foi escrita por Jason Aaron (Thor – O Deus do Trovão) e desenhada por Mike Deodato Jr. (Vingadores Sombrios).

Aqui no Brasil ela começou a ser lançada em junho de 2015 e teve um total de cinco edições, contando com uma edição zero.

Mas vamos ao que interessa!

Pecado Original nos mostra que o Vigia (Uatu) foi assassinado e seus olhos foram arrancados. Este é um dos personagens mais misteriosos do universo Marvel, já que é responsável por “observar” tudo o que acontece no planeta Terra, porém, sem poder interferir.

Muitos personagens, incluindo: Capitão América, Thor, Homem de Ferro, Soldado Invernal, Dr. Estranho e outros, com o auxilio de Nick Fury, iniciam uma caçada para descobrir a identidade do assassino. O vilão Orbe, aparece em cena portando um dos olhos do Vigia e com ele, faz com que inúmeros segredos (de todos), sejam revelados.

A partir daí, revelações absurdas são feitas, Fury mostra quem realmente é e um mistério enorme sobre quem é o assassino, começa a crescer, ao mesmo tempo que uma enorme frase se forma na mente: Quem se importa?

A parceria entre Jason Aaron e Mike Deodato Jr. me pareceu promissora, visto que ambos são os melhores no que fazem e inclusive, Aaron já foi indicado a vários prêmio Einser, ao longo da carreira.

A saga começou muito bem, instalando em nós leitores a curiosidade sobre quem tirou a vida de Uatu, porém, no decorrer das edições, esse motivo foi sendo jogado no ar e o que antes estava interessante, começou a ficar sem graça.

Ao invés de esclarecer dúvidas, o final da saga deixou uma infinidade de perguntas, já que nada foi devidamente esclarecido. Segredos que eram revelados através de cochicho e causavam uma reação tremenda em quem os ouvia, não foram revelados e por aí vai.

É claro que não há a necessidade de usar o método “Nolaniano” de explicar cada virgula da história, mas um enredo que se baseia em segredos e revelações dos mesmos, deveria ter um aprofundamento maior e talvez mais espaço para ser desenvolvida.

Assim como Vingadores vs X-Men, essa foi outra saga que propunha um bom tema, mas que ao longo do trajeto mostrou fraqueza e por isso (pelo menos para mim), decepcionou.

Vale: 3 brindes

Anúncios